sabor que sustenta

blog
28
maio

Café 101: O que torna um café especial?

Essa é uma pergunta bem subjetiva. E mais do que isso, admite muitas respostas.

Primeiro é importante sabermos o que é o café tradicional, aquele coado que está na mesa da maioria dos brasileiros todo santo dia e que é vendido por muitas das grandes empresas. Este café normalmente é desenvolvido com grãos de baixa qualidade e com muitos defeitos (grãos verdes, fermentados, azedos, pedaços de pau), que são mascarados pela moagem fina e o excesso de torra, que queima tudo e torna impossível distinguir de onde vem tanto amargor.

Então, com todo respeito ao cafezinho super ultra blaster especial coado pela sua mãe e que você tomou a vida toda, o mundo dos cafés especiais é bem mais amplo e cheio de curiosidades.

Vamos conhecer um pouquinho mais sobre o café?

A ideia de “café especial” se firmou quando, em 1974, uma senhora chamada Erna Knutsen usou o termo em uma edição da revista “Tea & Coffee Trade Journal” para descrever os grãos de melhores sabores e que são produzidos em microclimas especiais.

Hoje os critérios evoluíram e existem diversos padrões para avaliação e classificação de um café como especial. O mais adotado atualmente é o desenvolvido pela Associação Americana de Cafés Especiais (SCAA), que pontua o café numa escala de 0 a 100 levando em consideração diversos fatores visuais e sensoriais e aqueles com pontuação acima de 80 são considerados especiais. São avaliadas a densidade, a coloração, os aromas, uniformidade, ausência de defeitos e por aí vai.

No entanto, é possível encontrar diversos outros métodos de classificação e também várias terminologias distintas, como gourmet e superior – cada uma com suas particularidades. A questão é que nenhuma delas está certa ou errada, são apenas maneiras diferentes de avaliar o café e que seguem critérios diferentes.

Mas não se pode esquecer que o café, além de uma pontuação, pode trazer diversas outras características que o tornam ainda mais especiais. É o caso do nosso Pilotis, que busca ser especial desde o cultivo até à xícara.

Além de dos grãos serem 100% arábica com boa pontuação, selecionados (peneira 16 e acima – implicando grãos grandes), de origens certificadas e aromas complexos, o Pilotis ainda tem como pilares a sustentabilidade social (sim, uma parte do valor do café é direcionada para projetos sociais =D) e a transparência.

Seja muito bem-vindo(a) ao nosso portal e que possamos conversar muito daqui pra frente!

Deixe uma resposta